Ibope: 73% dos eleitores querem renovação no Congresso 

79% dos entrevistados afirmam que os deputados que votaram a favor da manutenção de Temer na presidência também são corruptos

Levantamento feito pelo Ibope,  entre 24 e 26 de julho, revelou que para 79% dos entrevistados, “o deputado que votar contra a denúncia é cúmplice de corrupção”. O levantamento ainda aponta que 73% dos eleitores crê que o deputado que votar contra a abertura do processo não merece ser reeleito.
Se os números da pesquisa Ibope/Avaaz estiverem corretos, 13 dos 17 deputados federais goianos terão dificuldade na hora de disputar a reeleição.  Na bancada de Goiás votaram favoráveis a Temer os deputados Alexandre Baldy (Pode), Célio Silveira (PSDB), Daniel Vilela (PMDB),  Giuseppe Vecci (PSDB), Heuler Cruvinel (PSD), João Campos (PRB), Jovair Arantes (PTB), Lucas Vergíio (SD), Magda Mofatto (PR), Pedro Chaves (PMDB), Roberto Balestra (PP)  e Thiago Peixoto (PSD). Ausente da votação, o deputado Delegado Waldir (PR) foi contabilizado como voto favorável a Temer.
Apenas os deputados Fábio Sousa (PSDB), Flavia Morais (PDT), Marcos Abrão (PPS) e Rubens Otoni (PT) votaram pelo afastamento do presidente e o proceguimento das ações no Supremo Tribunal Federal. Na votação ocorrida na útima quarta-feira (02/08), os deputados decidiram arquivar as denúncias contra o presidente Michel Temer(PMDB-SP) com  263 votos “sim” contra 227 votos “não”. Abstenções e ausências somaram 21 votos.
As eleições ainda estão distantes no calendário, e é possível aos deputados fazer um trabalho de convencimento junto aos seus eleitores sobre as razões do seu voto, porém, a cada dia que passa piora a avalação do governo e em especial do presidente Temer.  Não por acaso, para muitos pesquisadores, como Marcos Coimbra do Instituto Vox Populi, “é suicídio colar sua imagem com a de um presidente e de um governo denunciados por corrupção e rejeitados por 95% da população”, frisa.
Nos votos dos goianos, a maioria das alegações para o “sim” tinham  justificativa na crise econômica.  Foi pela “retomada do crescimento econômco” que votaram pelo “sim” pelos deputados Célio Silveira, Daniel Vilela, Heuler Cruvinel, Giuseppe Vecci, Jovair Arantes , Lucas Vergílio e Magda Moffato. Hoje, no entanto ocorre o contrário. Desde que Temer e sua equipe econômica assumiram o poder o PIB(Produto Interno Bruto) teve queda de 10%, o desemprego atinge 13,5 milhões de brasileiros e a perspectiva é que este ano a economia cresça míseros 0,1%.
É uma aposta alta continuar colado a um governo que vai continuar com a pauta de reformas impopulares. Temer quer colocar em votação ainda este ano a Reforma da Previdência, que é rejeitada por 80% dos eleitores. Este pode ser mais um ponto de desgaste para os deputados governistas. A aposta dos parlamentares é que nas eleições estaduais o debate será outro, e eleitor concentre sua atenção nas campanhas dos governadores. Pode até ser, mas o ânimo da política brasleira não tem sido este. O eleitor está cada vez mais decepcionado com a chamada “velha política” e por são grandes as chances de haver uma grande renovação nos legislativos.
A  pesquisa Ibope oi encomendad pela Avaaz – ONG que se apresenta como “movimento cívico global” pelo fim da corrupção -,  mil pessoas com mais de 16 anos e moradoras de todas as regiões do Brasil. As entrevistas foram feitas por telefone. A margem de erro máxima estimada é de três pontos percentuais.
Frases ditas pelos deputados goianos durante a votação
do pedido de investigação do presidente Michel Temer (PMDB-SP)
 “Eu voto sim pelo relatório do deputado Paulo Abi-Ackel do PSDB, sr. presidente”
Alexandre Baldy (Pode)
“Sr. Presidente, para que o Brasil saia urgentemente da pior crise da sua história eu voto sim”
Célio Silveira (PSDB)
“Presidente, acreditando que o Brasil está saindo de uma das mais graves crises econômicas de sua história, e entendendo que o presidente Michel Temer terá a oportunidade de provar a sua inocência após a perda da imunidade presidencial,  meu voto é sim”
Daniel Vilela (PMDB)
Ausente(19h17)
Delegado Waldir (PR)
“Rendendo homenagem ao deputado Eduardo Barbosa que não pode estar presente, em virtude do falecimento de sua esposa, eu voto não, sr. presidente”
Fábio Sousa (PSDB)
“Sr. presidente, o povo brasileiro merece ver esta denúncia investigada e esclarecida. Por isso, nós somos à favor desta investigação. Meu voto é não, contra o relatório”
Flávia Morais(PDT)
“Sr. Presidente, sim pela estabilidade do país,  sim pelo crescimento da nossa economia. Eu voto sim pelo relatório do deputado Abi-Ackel”
Giuseppe Vecci (PSDB)
“Pela retomada da nossa economia, Contra a esquerda comunista que quebrou esse país, meu voto é sim ao relatório”
Heuler Cruvinel (PSD)
“Quero render homenagem ao PSDB, através do seu relator, votando sim neste relatório que é importante para o Brasil, para economia e para a política nacional”.
Jovair Arantes (PTB)
“Pelo desenvolvimento do nosso país, pela estabilidade política, serei responsável com o meu país. Voto para que o presidente Temer seja ao fim do seu mandato. Voto sim, sr. presidente”
Lucas Vergílio (SD)
 
“Goiás e o Brasil sabem que eu sou a favor de qualquer investigação, inclusive desta, todavia,  em absoluto respeito à decisão partidária, eu voto sim”
João Campos (PRB)
“Meu voto é não”
Marcos Abrão (PPS)
“Pelo progresso e desenvolvimento do país é sim. E pela coragem do nosso presidente Michel Temer em fazer as reformas necessárias ao país, voto sim ao relatório”
Magda Moffato (PR)
“Voto com o relator da comissão de Constituição e Justiça, voto sim”
Pedro Chaves (PMDB)
“Em defesa da democracia, contra a retirada de direitos do povo mais simples, humilde, trabalhador. Pela garantia da continuidade das investigações, eu voto não”
Rubens Otoni (PT)
“Eu sou de Inhumas (GO), eu voto por Inhumas, por outras, voto  pelo meu estado de Goiás e pelo Brasil. Voto Sim”
Roberto Balestra (PP)
“Voto sim com o relator”
Thiago Peixoto (PSD)
You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply

Powered by WordPress | Shop Free AT&T Cell Phones Online. | Thanks to iCellPhoneDeals.com, Free MMO and Transfer equity