A bancada de Mabel

 

Homem forte de Temer, Cunha e da CNI, ex-deputado foi um dos principais doadores na campanha para deputado federal em Goiás

Um dos maiores empresários de Goiás, o ex-deputado federal Sandro Mabel (PMDB) foi um dos principais doadores nas campanhas para Câmara Federal nas eleições passadas. Homem forte do presidente Michel Temer (PMDB-SP), Mabel deixou o governo esta semana. Membro da direção da CNI – Confederação Nacional das Indústrias, Sandro Mabel foi um dos principais apoiadores do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na sua campanha à presidência da Câmara Federal.

Com todo este currículo, não causa estranheza que Mabel tenha desempenhado papel relevante no financiamento de seis, dos dezessete deputados federais goianos. As doações estão registradas na prestação de contas junto ao Tribunal Superior Eleitoral. Cada um dos deputados foi beneficiado com a doação de R$ 300 mil reais, através de transferência financeira para as contas oficiais de campanha, tendo sido todas realizadas no dia 30 de setembro de 2014.

Hoje está cada vez mais claro o papel da CNI e do deputado Eduardo Cunha no processo que levou à deposição da presidenta Dilma Roussef (PT-MG) e também na aprovação das reformas Trabalhista, da Previdência e na Terceirização.

Quando ainda exercia o mandato parlamentar, Sandro Mabel foi o autor do primeiro projeto de Terceirização o PL 4330 que chegou na Câmara Federal  em 26 de outubro de 2004. Ele defendia na época que terceirização vai aumentar o número de empregos e modernizar as relações trabalhistas. Entre os críticos a esta proposta estão os juízes da Justiça do Trabalho, o Ministério Público do Trabalho e o Dieese (Departamento Intersindical de Estudos Econômicos e Sociais). De acordo com estes entidades, a terceirização  põe fim à  carteira de trabalho, acaba com 13º salário e com todos os direitos que conquistamos com muita luta ao longo da história dos trabalhadores.

Nas votações da reforma Trabalhista e da Terceirização, a maioria dos parlamentares seguiu a orientação do presidente Temer, votando favorável a  estes projetos. Na Terceirização apenas dos deputados Célio Silveira (PSDB) e Flávia Morais (PDT) divergiram, votando contra o projeto, os demais deputados votaram à favor. Na Reforma Trabalhista, a deputada Flávia Morais seguiu novamente a orientação da liderança de seu partido e votou contra o projeto, todos os demais votaram favoráveis. Somente numa votação todos votaram de maneira unânime: o impeachment.

Mabel sempre teve talento como articulador político: foi líder na Câmara do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP), coordenou a campanha de Cunha à presidência da Câmara, foi um dos líderes das entidades classistas na campanha pelo impeachment e nos últimos meses estava na articulação política do presidente Temer. Sua saída é um prejuízo ao já combalido governo Temer, mas com certeza sua liderança classista continuará exercendo influência, independente de quem quer que seja o inquilino do Palácio do Planalto.

 

 

DEPUTADO                         DOADOR                              Valor (R$)      DATA

Alexandre Baldy (PTN)         Sandro Scodro (Mabel)          300.000,00      30/09

Célio Silveira                          Sandro Scodro (Mabel)          300.000,00      30/09

Daniel Vilela (PMDB)           Sandro Scodro (Mabel)          300.000,00      30/09

Flávia Morais (PDT)              Sandro Scodro (Mabel)          300.000,00      30/09

Fábio Sousa (PSDB)              Sandro Scodro (Mabel)          300.000,00      30/09

Giuseppe Vecci (PSDB)        Sandro Scodro (Mabel)          300.000,00      30/09

Total ……………………………………………………………………………… R$ 1.800.000,00

Fonte: Tribunal Superior Eleitora – TSE

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply

Powered by WordPress | Shop Free AT&T Cell Phones Online. | Thanks to iCellPhoneDeals.com, Free MMO and Transfer equity