Tarô prevê renovação política e social no Brasil

 
Ocultista revela que país será regido nos próximos anos pelos arcanos Morte, Temperança, Diabo e Vitória
 

 
Na sua obra prima, “Dom Quixote”, o escritor espanhol Miguel de Cervantes intriga o leitor com a frase:”yo no creo em brujas, pero que lãs hay, las hay” (eu não creio em bruxas, mas que elas existem, existem). Em sua peça Hamlet, o poeta e dramaturgo inglês William Shakespeare, também adverte: “Há mais mistérios entre o céu e a terra do que a vã filosofia dos homens possa imaginar”. A busca de explicações através da magia, de práticas xamânicas ou da leitura de cartas é tão antiga quanto a civilização. E em tempos de crise ou incerteza, cresce o interesse das pessoas pelas artes ocultas.
Pesquisador, Professor de Ciências Ocultas, Tarô, Cabala e Astrologia, Nilton Schultz tem um programa semanal na Rádio Mundial, em São Paulo (FM 95,7 – AM 660). Seu programa “Caminhos da Consciência também é publicado Youtube. Nesta última semana, com o advento das datas de Tiradentes e do Descobrimento do Brasil, Schultz leu os números e colocou as cartas do tarô para avaliar acontecimentos da política e da economia no Brasil para os próximos anos. Partindo deste ano, de 2017, quando se completa 517 da chegada dos portugueses ao Brasil, Nilton Schultz fez a leitura dos arcanos do tarô que irão reger os destinos do Brasil em 2017 (Morte), 2018 (Temperança), 2019 (Diabo) e 2020 (Carro), que simboliza vitória.
 
 
Morte e renovação
Nilton Schultz parte de 22 de abril deste ano de 2017, quando se completa 517 anos da vinda dos portugueses para o Brasil. No tarô é feita a soma dos números para se chegar a um resultado que irá levar a uma carta ou arcano deste baralho místico. Schultz faz a soma dos 517 anos, fazendo a redução ou fracionamento do número: 5+1+7 = 13, e este número representa a carta 13, que no tarô é o arcano Morte. Schultz argumenta que em 2016 o Brasil estava sob a influência do arcano 12, o Enforcado. Neste ano, na passagem do dia 22 de abril, o  país sai da energia deste arcano, o Enforcado, que no ano passado representou insatisfação coletiva que levou ao trauma do impeachment, e entra numa era de transformação. O arcano 13, ou a Morte, representa um período de renovação. A faxina política continua, apesar de alguns políticos ainda tentarem muitas manobras, mas as “velhas raposas da política” não terão mais vez pois o povo ocupará as ruas neste primeiro semestre para protestar.
 
 
Schultz observa que o arcano 13, a Morte, representa o renascimento, onde o Brasil renasce para o novo, com  a morte  das coisas velhas, desgastadas. “É o momento do povo brasileiro ver o que precisa morrer e o que precisa renascer. As pessoas que não aceitarem a morte das coisas desgastadas, ficarão como mortas-vivas na sociedade. Serão pessoas rechaçadas pelo sistema e não terão regeneração”, adverte.
 
Considerando a numerologia do ano (2+1+7=10), a carta do tarô que vai reger 2017 é a Roda da Fortuna (número 10), que reporta a mudanças, individuais e coletivas, reflexões e novos ciclos. O que está em cima pode ficar embaixo e vice-versa, pois, quando a roda gira, é uma nova oportunidade que se abre.
 
 
Temperança
Em 2018, 518 anos da vinda dos portugueses, a soma (5+1+8) será o número 14, que no tarô é a energia da Temperança, como o arcano maior do tarô. De acordo com Nilton Schultz  “teremos a realidade das experiências antigas, passando a luz para o novo”. Schultz observa que em 2017 o país trabalha o renascimento de modo que em 2018 a nação tenha a energia do equilíbrio.  “A energia do arcano Temperança é de buscar equilibrio com as experiências do passado, a força do presente e a energia da potencialidade do futuro”. Segundo o tarólogo, as pessoas que não conseguirem trabalhar a luz deste influxo de experiências,  não encontrarão a temperança, mas sim o desequilíbrio. “As pessoas que entenderem as transformações de 2017, serão as pessoas que terão o potencial muito grande de enxergar as energias de renovação, terão a capacidade de produzir coisas novas”, prevê.  
 
Assim, segundo Nilton Schultz, 2018 será simbolizado por um ano de muito equilíbrio para aqueles que fizeram o seu papel, mas, para aqueles que não fizeram, será um ano de desequilíbrio. “Como definir quem estará na luz ou nas sombras? Teremos as hierarquias empurrando para a luz, mas percebemos também  que para alcançar a luz, teremos que passar pelo rigor das forças que cobram a transformação do indivíduo e do coletivo”, explica.
 
Assim como há convergência entre o ano de 2017 e a data 517, há também em relação ao ano de 2018 e os 518 anos de surgimento do Brasil. A numerologia de  2018, aponta para o arcano 11 que simboliza a Força, que é representada pela imagem de uma jovem que fecha com a mão, sem esforço, a boca de um leão. É o emblema da força, que é a fé em si mesmo. O arcano 11 revela que a persuasão vem da crença  em si mesmo e na força espiritual e que a persuasão tem mais poder do que a violência.
 
 
Diabo
Em 2019 a regência será o Arcano 15, o Diabo. Este é um arcano de grande provação, onde as pessoas terão que conviver com o que há de pior delas, porém, sendo desafiadas a superar suas deficiências para se reencontrar com a luz.
Na avaliação de Nilton Schultz, este tamm será um período de grande transformação, pois o duelo entre o velho e o novo vai forçar as pessoas a se enxergarem e a buscarem a superação de suas fraquezas.
 
 Segundo Nilton Schultz, o arcano Diabo é associado aos mistérios da Era de Peixes, onde para se chegar à luz é preciso vencer provações. Assim como Jesus meditou por 40 dias no deserto e sofreu três tentações do demônio, as pessoas também têm os seus demônios interiores a enfrentar para chegar a grande luz.
 
Voltando, mais uma vez à leitura do ano, 2019 forma o arcano 12, o Enforcado. Se o Diabo cobra evolução espiritual, o Enforcado, também faz o mesmo tipo de cobrança: O arcano 12 traz também muitos sofrimentos, muitas lutas. Possui uma síntese bonita porque 1+2 + 3 que significa produção tanto material, quanto espiritual, é poderoso e social. Este arcano promete luta no econômico e no social.
 
 
Vitória
O ano de  2020 vem com uma energia muito grande, com o magnetismo dos 520 anos do descobrimento do Brasil. Este ano será regido pelo número 7 que no tarô é representado pelo Carro, arcano que representa vitória.  “Em 2017 o arcano 13, a Morte, pede regeneração, em 2018 o arcano 14, a Temperança, cobra equilíbrio, em 2019, o arcano 15, o Diabo,exige a busca de uma grande luz, quem passar por estas grandes provas chegará em 2020 sobre a influência do arcano 7, o Carro, que representa a diferença entre os vencedores e os perdedores”, aponta. Uma advertência: O ano de 2020 é também representado pelo arcano 4, o Imperador que simboliza estabilidade, concretização daquilo que é tangível, realização, proteção; mas no seu aspecto negativo representa tirania e perda de bens.
 
Perseverança
Nilton Schultz diz que não dá para profetizar quem estará do lado da luz ou do lado das sombras. Isto depende de como o povo brasileiro vai trabalhar seu desenvolvimento individual e coletivo. “No amor e no rigor, nós, como nação, vamos trabalhar o desenvolvimento, somos a Nova Jerusalém. A evolução do Brasil está prevista nos livros sagrados, mas temos que fazer a nossa parte”, ensina.
 
Segundo Schultz, “o momento é agora, não existe esta coisa de esperar para amanhã: se regenere em 2017, se equilibre em 2018, faça uma grande luz em 2019 e em 2020 seja um vencedor de sua própria vida em relação a todas estas energias que vão fazer com que o Brasil tenha um direcionamento verdadeiro como pátria e avatar da Era de Aquário”, antevê. (Com informações da página Caminhos da Luz, no youtube).
You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply

Powered by WordPress | Shop Free AT&T Cell Phones Online. | Thanks to iCellPhoneDeals.com, Free MMO and Transfer equity